1 2 legisla§£o previdenciria. 2.1 contedo, fontes, autonomia. 2.2 aplica§£o...

Download 1 2 Legisla§£o Previdenciria. 2.1 Contedo, fontes, autonomia. 2.2 Aplica§£o das normas previdencirias. 2.3 Vigncia, hierarquia, interpreta§£o e integra§£o

Post on 17-Apr-2015

192 views

Category:

Documents

17 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • 1 2 Legislao Previdenciria. 2.1 Contedo, fontes, autonomia. 2.2 Aplicao das normas previdencirias. 2.3 Vigncia, hierarquia, interpretao e integrao.
  • Slide 2
  • 2 Entende-se como legislao previdenciria o conjunto de leis e atos administrativos referentes ao funcionamento do sistema securitrio. A Lei 8212/91 trata da organizao e custeio de toda a seguridade social, no apenas da previdncia social. A lei, desde que compatvel com a Constituio, fonte primria de obrigaes e direitos previdencirios, pois cabe ao Poder Legislativo criar e disciplinar o sistema de seguridade social. LEGISLAO PREVIDENCIRIA CONTEDO:
  • Slide 3
  • COMPETNCIA PRIVATIVA DA UNIO LEGISLAR SOBRE SEGURIDADE SOCIAL. A LEGISLAO COMPREENDE UM CONJUNTO DE LEIS, DECRETOS, NORMAS COMPLEMENTARES, TRATADOS E CONVENES INTERNACIONAIS. 3 natural que a legislao seja composta tambm de normas complementares.
  • Slide 4
  • A FONTE POR EXCELNCIA DA LEGISLAO A CF/88, QUE DEFINIU OS OBJETIVOS E OS PRINCPIOS DA PREVIDNCIA E ESTABELECEU CRITRIOS E PARMETROS PARA A COBRANA DE CONTRIBUIES E CONCESSO DE BENEFCIOS. TEM-SE AINDA COMO FONTE AS LEIS, ATOS NORMATIVOS E JURISPRUDNCIA. A DOUTRINA NO TIDA COMO FONTE DO DIREITO, MAS POSSUI INTENSA PARTICIPAO NO DESENVOLVIMENTO DE LEIS, PELA INFLUNCIA DAS DECISES DOS MAGISTRADOS. 4
  • Slide 5
  • 5 PODEM SER: FORMAIS E MATERIAIS MATERIAIS: FATOS SOCIAIS E CLAMOR DA SOCIEDADE FORMAIS: SO AS LEIS, DECRETOS, MP, EC, LO, LC... Temos como fontes formais no Direito Previdencirio: CF/88, Leis 8212 e 8213/91, Decreto 3.048/99 e suas alteraes.
  • Slide 6
  • O DIREITO PREVIDENCIRIO AUTNOMO, POIS POSSUI OBJETO PRPRIO E EXPRESSES TPICAS, NO SE SOCORRENDO COM OS DEMAIS DIREITOS, POIS TEM SEUS PRPRIOS INSTITUTOS. NO SUBMISSO AO DIREITO MATERIAL, POIS TEM SEUS PRINCPIOS E REGRAS PRPRIAS. PODE-SE ENCONTRAR CONCEITOS JURDICOS EXCLUSIVOS DO DIREITO PREVIDENCIRIO, COMO: SALRIO-DE-BENEFCIO. 6
  • Slide 7
  • Aplicar a lei reconhecer o enquadramento de determinado caso acontecido em uma previso legal que o preceda. 7
  • Slide 8
  • O brasileiro residente no exterior amparado pela legislao brasileira, salvo se for amparado pela legislao deste pas. O estrangeiro residente no Brasil amparado pela legislao brasileira, salvo se estiver a servio do seu pais. O estrangeiro domiciliado e contratado no Brasil para trabalhar em empresa brasileira no exterior se sujeitar ao RGPS brasileiro. 8
  • Slide 9
  • A VIGNCIA DA LEI DIZ RESPEITO SUA EXISTNCIA JURDICA EM DETERMINADO MOMENTO. REQUISITO NECESSRIO PARA A EFICCIA DA LEI E SUA PRODUO DE EFEITOS. EM REGRA, A VIGNCIA DA LEI PREVIDENCIRIA NO DIFERE DAS DEMAIS, SALVO DISPOSIO EM CONTRRIO, COMEAM A EM TODO O PAS 45 DIAS DEPOIS DE OFICIALMENTE PUBLICADA. A LEI QUE INSTITUIR OU MODIFICAR AS CONTRIBUIES SOCIAIS S ENTRAM EM VIGOR 90 DIAS APS A DATA DA PUBLICAO. 9
  • Slide 10
  • O art. 195, 6, da CF/88 introduz o princpio da anterioridade previdenciria, mitigada ou nonagesimal, o qual retm a eficcia de nova lei relativa contribuio social por 90 dias aps a publicao desta. 10
  • Slide 11
  • A Hierarquia do Direito Comum prevalece, tambm, no Direito da Seguridade Social e, particularmente, no Direito Previdencirio. Na pirmide da hierarquia normativa, encontramos no vrtice a Constituio Federal, e as Emendas Constituio; Abaixo, as Leis Complementares, as Leis Ordinrias, as Leis Delegadas e as Medidas Provisrias; Mais abaixo, os Decretos e, na base, os Atos Administrativos (Portarias, Resolues, Ordens de Servio, Instrues Normativas, Orientaes Normativas, etc) 11
  • Slide 12
  • A cincia que interpreta o direito a Hermenutica Jurdica. Podemos considerar a interpretao das leis segundo critrios diversos. Um deles consiste em determinar as fontes, os mtodos e os tipos interpretativos. 12
  • Slide 13
  • Rogrio Greco: Interpretar buscar o efetivo alcance da norma. Fernando Capez: Interpretar a atividade que consiste em extrair da norma seu real significado. 13
  • Slide 14
  • significa complementao, ato de tornar inteiro. Quando uma lei apresenta lacuna, preciso suprir a omisso, promover a sua integrao. Quando a lei for omissa, o juiz decidir o caso de acordo com a analogia, os costumes e os princpios gerais de direito. Para se suprir a lacuna legal, pode-se ainda recorrer eqidade. A integrao situao excepcional, onde o magistrado atua, atipicamente, como legislador para o caso concreto, apenas para efeitos entre as partes envolvidas no processo. 14
  • Slide 15
  • ANALOGIA: a operao lgica, em virtude da qual o intrprete estende o dispositivo da lei a casos por ela no previstos, sendo assim, uma forma de integrao. COSTUMES: so prticas reiteradas, de longa data, pela sociedade e aceitas como corretas. Tm fora normativa, desde que no sejam contrrios lei. PRINCPIOS GERAIS DO DIREITO: So aqueles que fornecem as principais diretrizes do ordenamento jurdico, responsveis pela fundao de toda a construo jurdica. 15