01.7 - epi

Click here to load reader

Post on 25-Jun-2015

498 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

10/26/2010

Equipamento de Proteo Individual

EQUIPAMENTOS DE PROTEO DE SEGURANAEPI

EPI

EPI

De acordo com a NR-6 da Portaria n 3214 de 8 de junho de 1978, do Ministrio do Trabalho e Emprego, considera-se Equipamento de Proteo Individual EPI: Todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado proteo de riscos suscetveis de ameaar a segurana e a sade no trabalho. (6.1.1)

6.1.1. Entende-se como Equipamento Conjugado de Proteo Individual, todo aquele composto por vrios dispositivos, que o fabricante tenha associado contra um ou mais riscos que possam ocorrer simultaneamente e que sejam suscetveis de ameaar a segurana e a sade no trabalho.

EPI

EPI

Exemplo de equipamento conjugado: Capacete

acoplado com protetor auricular e viseira para a proteo dos olhos. Este tipo de equipamento muito utilizado para transferncia de gases altamente refrigerados, mas deve possuir um nmero de CA para o conjunto completo e no pode ser montado, separadamente, a critrio do usurio.

No permitido ao empregador nem ao empregado fazer adaptaes ao EPI de modo a torn-lo conjugado, como, por exemplo, colocar uma viseira adaptada em um capacete. O EPI conjugado dever ser submetido aos mesmos trmites legais e testes dos EPIs de pea nica para que seja fornecido CA pelo MTE.

1

10/26/2010

EPI

EPI

6.2 O equipamento de proteo individual, de fabricao nacional ou importado, s poder ser posto venda ou utilizado com a indicao do Certificado de Aprovao - CA, expedido pelo rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho do MTE.

6.3 A empresa obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservao e funcionamento, nas seguintes circunstncias:a)

DNSST e INMETRO Atestar que o equipamento rene as condies de servir ao fim que se presta.

b)

c)

sempre que as medidas de ordem geral no ofeream completa proteo contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenas profissionais e do trabalho; enquanto as medidas de proteo coletiva estiverem sendo implantadas; e, para atender a situaes de emergncia.

EPI

SESMT CIPAEMPREGADOR mediante orientao tcnica

De acordo com o item 6.5 da NR 6, a escolha e a recomendao do EPI adequado so de responsabilidade dos SESMT ou da CIPA, nas empresas desobrigadas de manter os SESMT. Na hiptese da no-existncia dos SESMT e da CIPA, cabe ao empregador, mediante orientao tcnica, fornecer e determinar o uso do EPI adequado proteo da integridade fsica do trabalhador.

EPI

EPI

6.6 Cabe ao empregador:a) b) c)

6.7 Cabe ao empregado:usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina; b) responsabilizar-se pela guarda e conservao; c) comunicar ao empregador qualquer alterao que o torne imprprio para uso; e, d) cumprir as determinaes do empregador sobre o uso adequado. Constitui ato faltoso pelo empregado a recusa injustificada do uso do EPI.a)

d)

e) f) g) h)

adquirir o adequado ao risco de cada atividade; exigir seu uso; fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho; orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservao; substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado; responsabilizar-se pela higienizao e manuteno peridica; comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada; registrar o seu fornecimento ao trabalhador, podendo ser adotados livros, fichas ou sistema eletrnico.

2

10/26/2010

10.2.9.1MEDIDAS DE PROTEO INDIVIDUAL (10.2.9 )

Nos trabalhos em instalaes eltricas, quando as medidas de proteo coletiva forem tecnicamente inviveis ou insuficientes para controlar os riscos, devem ser adotados equipamentos de proteo individual especficos e adequados s atividades desenvolvidas, em atendimento ao disposto na NR 6.

10.2.9.2

10.2.9.3

As vestimentas de trabalho devem ser adequadas s atividades, devendo contemplar a CONDUTIBILIDADE, INFLAMABILIDADE e INFLUNCIAS ELETROMAGNTICAS.

vedado o uso de adornos pessoais nos trabalhos com instalaes eltricas ou em suas proximidades.

EPI

3

10/26/2010

Proteo da Cabea

Capacete

Aba total Aba frontal com viseira Aba frontal (jquei)

4

10/26/2010

Capuz de Segurana

Riscos de origem trmica; Respingos de produtos qumicos; Contato com partes giratrias ou mveis de mquinas.

Proteo dos Olhos

culos de segurana

Impactos de partculas volantes; Luminosidade intensa; Radiao ultra-violeta; Radiao infra-vermelha; Respingos de produtos qumicos.

5

10/26/2010

Proteo dos Olhos

Protetor facial

Impactos de partculas volantes; Respingos de produtos qumicos; Radiao infra-vermelha; Luminosidade intensa.

Mscara de Solda

Impactos de partculas volantes; Radiao ultra-violeta; Radiao infra-vermelha; Luminosidade intensa.

6

10/26/2010

Proteo Auditiva

Protetor auditivo

Circum-auricular; De insero; Semi-auricular.

Proteo Respiratria

7

10/26/2010

Respirador purificador de ar

Poeiras e nvoas; Poeiras, nvoas e fumos; Poeiras, nvoas, fumos e radionucldeos; Vapores orgnicos ou gases cidos em ambientes com concentrao inferior a 50 ppm (parte por milho); Gases emanados de produtos qumicos; Partculas e gases emanados de produtos qumicos; Poeiras, nvoas, fumos e radionucldeos.

Respirador de aduo de ar

Tipo linha de ar comprimido para proteo das vias respiratrias em atmosferas com concentrao Imediatamente Perigosa Vida e Sade (IPVS) e em ambientes confinados; Mscara autnoma de circuito aberto ou fechado para proteo das vias respiratrias em atmosferas com concentrao Imediatamente Perigosa Vida e Sade (IPVS) e em ambientes confinados

8

10/26/2010

Respirador de fuga

Contra agentes qumicos em condies de escape de atmosferas Imediatamente Perigosa Vida e Sade (IPVS) ou com concentrao de oxignio menor que 18 % em volume

Proteo dos Membros Superiores

Luva

Agentes abrasivos e escoriantes; Agentes cortantes e perfurantes; Choques eltricos; Agentes trmicos; Agentes biolgicos; Agentes qumicos; Vibraes; Radiaes ionizantes.

LUVA ISOLANTE DE BORRACHA

Utilizada para proteo das mos e braos contra choque em trabalhos e atividades com circuitos eltricos energizados. Deve ser usada com a luva de vaqueta para cobertura para proteg-la de qualquer atrito, j que fina e pode se rasgar facilmente.

9

10/26/2010

LUVA ISOLANTE DE BORRACHA

Deve ser realizado o teste de inflamento da luva para uma inspeo visual rigorosa em busca de rasgos, furos, ressecamentos, etc. A utilizao do inflador indispensvel na inspeo visual das luvas isolantes de borracha.

10

10/26/2010

Espessura de luvas de eltrica

11

10/26/2010

Creme protetor

Creme protetor de segurana para proteo dos membros superiores contra agentes qumicos, de acordo com a Portaria SSST n 26.

Manga

Choques eltricos; Agentes abrasivos e escoriantes; Agentes cortantes e perfurantes; Umidade proveniente de operaes com uso de gua; Agentes trmicos.

12

10/26/2010

Proteo dos Membros Inferiores

Calado

Impactos de quedas de objetos sobre os artelhos; Choques eltricos; Agentes trmicos; Agentes cortantes e escoriantes; Umidade proveniente de operaes com uso de gua; Respingos de produtos qumicos.

Meia

Meia de segurana para proteo dos ps contra baixas temperaturas.

13

10/26/2010

Perneira

Agentes abrasivos e escoriantes; Agentes trmicos; Respingos de produtos qumicos; Agentes cortantes e perfurantes; Umidade proveniente de operaes com uso de gua.

Cala

Agentes abrasivos e escoriantes; Respingos de produtos qumicos; Agentes trmicos; Umidade proveniente de operaes com uso de gua

Proteo do Corpo Inteiro

Macaco Chamas; Agentes

trmicos; de produtos qumicos; Umidade proveniente de operaes com uso de gua. Respingos

14

10/26/2010

Proteo do Corpo Inteiro

Conjunto Agentes

trmicos; de produtos qumicos; Umidade proveniente de operaes com uso de gua; Chamas. Respingos

Proteo do Corpo Inteiro

Vestimenta de corpo inteiroRespingos de produtos qumicos; Umidade proveniente de operaes com gua; Choques eltricos; Insetos.

15

10/26/2010

PROTEO CONTRA QUEDAS

Dispositivo trava-queda

Contra quedas em operaes com movimentao vertical ou horizontal.

PROTEO CONTRA QUEDAS

Talabarte

Tipo regulvel Tipo Y com absorvedor de energia

16

10/26/2010

PROTEO CONTRA QUEDAS

Cinturo Riscos Riscos

de queda em trabalhos em altura; de queda no posicionamento em trabalhos em altura.

EPI Setor Eltrico

Proteo para o Risco de Queimadura por Arco Eltrico

CAPACETE COM VISEIRA + BALACLAVA / CAPUZ CARRASCO Proteo para o Risco 1,2,3,4 - Conforme NFPA 70E, ASTMs, NR 10, NR 6 e NBRs

17

10/26/2010

Proteo para o Risco de Queimadura por Arco Eltrico

Proteo para o Risco de Queimadura por Arco Eltrico

Capacete Contra Impactos e Perfurao Provenientes de Queda de Objetos e Riscos Associados ao Trabalho com Alta Voltagem; Viseira - Agentes Trmicos (Calor e Chamas), Impactos, Ultravioleta, Infravermelho e Partculas Volteis;

Balaclava Agentes Trmicos (Calor e Chamas);

Proteo para o Risco de Queimadura por Arco Eltrico

Proteo para o Risco de Queimadura