000 capa a 022 final aka om lind mundo

Download 000 capa a 022 final aka om lind mundo

Post on 16-Nov-2014

238 views

Category:

Art & Photos

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

1ª parte Resenha para Catálogo Aka Om Lind' Mundo

TRANSCRIPT

  • 1. arteEXPOSIOES | EVENTOSapresentaOMAUMMUDANAMOVIMENTO20142015

2. LIND'MUNDODedicada eterna memria de Letcia daConceio Bicho, Grande Me e GrandeApreciadora de Arte.Como Lindo o Mundo, pensamos os doisenquanto debruamos em conjunto oolhar sobre a beleza distintiva desta Vila.Nesta topografia singular, grandiosa, mais fcil entrar em contacto com a hist-riacomum que nos une e que nos traz hojeao MUSA.A amizade entre um Escultor e um Pintor,uma tambm ela singularidade no espaoe no tempo, aglutinou a vontade e a opor-tunidadesob o auspcio e teto cultural noMunicpio de Sintra e o resultado este:Lind'Mundo.No Algarve dizemo-lo assim, em dialeto, ese nos perguntarem, provavelmente res-ponderemos Lind' porque Linde, no precise outras justificaes.Outro mestre estava a tomar ch com dois dos seus alu-nosquando, subitamente atirou o leque para um deles,dizendo o que isto? o aluno abriu-o e abanou-se.No mau, foi o seu comentrio. Agora tu., conti-nuou,passando-o ao outro aluno, que imediatamente fe-chouo leque e coou o pescoo com ele. Feito isto, abriu-onovamente, colocou um pedao de bolo sobre ele e ofe-receu-o ao mestre. Este foi considerado ainda melhor,porque, quando no existem nomes, o mundo deixa deestar classificado dentro de limites e fronteiras.In O Caminho do Zen, de Alan WattsEsta mostra, sobretudo porque no se clas-sificadentro de limites ou fronteiras, estintegrada na iniciativa associativa AKAOM dedicada aos temas Mudana |Mo-vimento|Crise |Criatividade - e a expo-siodesta coleo de Obras de Jorge Mo-reirae Nuno Quaresma antecipa uma s-riede outras atividades e iniciativas quedecorrero em 2015 e que podero seracompanhadas em www.numdiaperfei-to.com .Num dia perfeito pinta-se, esculpe-se,alimenta-se o corpo e a alma, ama-se e en-sina-se a amar.No te iludas. O ontem j se passou, o amanh aindano existe. Vive, pois, a nica certeza que tens agora:este dia!Augusto Branco aka Nazareno Vieira de Souza 3. OMAUM prefcioOM, Aum, o som do movimento do Universo, o eco do seu in-ciodistanteVivo na era da descoberta do Boso de Higgs, do pleno, segu-roe consolidado funcionamento do Acelerador de Partculasdo CERN, j numa poca ps Relatividade Geral de Einste-in,nos tempos da elaboradssima complexidade matemticada Teoria das Cordas.No meu ntimo, no fundo da minha alma (ser que esta exis-te?)procuro contudo e apenas ouvi-lo: este silncio que tam-bmum rumor sem fim.Quando me concentro, respiro-o, sinto-lhe, por momentos, es-sanesgazinha de grandiosidade de que todos somos parte.J me explicaram que mas o conseguiria integrar se tivesseo copo menos cheio. mais fcil encher um copo vazio do que fazer entrar o queseja numa malga (amlgama!) a transbordar.A dura tarefa que tenho hoje pela frente esvaziar-me dessecaudal. minha essa tarefa apenas porque a escolho.No sei se sou capaz, se estou altura da complexa exign-ciado seu postulado.Sigo com a simplicidade, humildade e receios de uma crian-a(talvez at com um pouco da sua indisciplina e irrevern-cia).Por isso comeo por desenhar e pintar.No me levem a mal. No sou capaz de o fazer de outra formaagora.Vou pintar o que no compreendo, pintarei tudo o que me dis-trao pensamento, para ver se a pintar desmistifico e des-mistificandoexorcizo essa fora magntica que me agarraobsessivamente forma das coisas.Pensando menos sentirei talvez mais. Mais perto estarei tal-vezdo essencial, do contedo. Mais perto da verdade, quemsabe, da conscincia, do corao de Ti!Aka OM (Aum), j em outubro deste ano, com o apoio Tailo-red,AKA Art Projects e da Cmara Municipal de Sintra.01 4. Aum (or OM) is a mantra, or vibration, that is traditionallychanted at the beginning and end of yoga sessions. It is madeup of three Sanskrit letters, aa, au and ma which, whencombined together, make the sound Aum or Om. It is believedto be the basic sound of the world and to contain all othersounds. It is said to be the sound of the universe. What doesthat mean?Somehow the ancient yogis knew what scientists today aretelling usthat the entire universe is moving. Nothing is eversolid or still. Everything that exists pulsates, creating arhythmic vibration that the ancient yogis acknowledged withthe sound of Aum. We may not always be aware of this soundin our daily lives, but we can hear it in the rustling of theautumn leaves, the waves on the shore, the inside of aseashell.Chanting Aum allows us to recognize our experience as areflection of how the whole universe movesthe setting sun,the rising moon, the ebb and flow of the tides, the beating ofour hearts. As we chant Aum, it takes us for a ride on thisuniversal movement, through our breath, our awareness,and our physical energy, and we begin to sense a biggerconnection that is both uplifting and soothing.02 5. Maria JooA respirao dilata-se no ar pesado do interiorcores esbatidas, vidraas molhadas, sonhos que pingambeijos inaudveis, olhar no vazio, corao menos pesadohlito carnal, mos que se tocam, corpos que se fundemO silncio a linguagem dos amantes.No sabes o meu nome, no conheo a tua histria, no interessa quem somos.As fotos das crianas que fomos culminam neste momento presente; tudo este segundo que vivemostodas as gotas do oceano esto dentro destas paredesas rugas que ambos escondemos brilham na sua solidons somos tudo, por saber ser nadaacolhes-me nos teus braos como se fosse o teu nico filho recm regressadoAbro-te os meus como se fosse um porto de abrigo para um navio que no navega.No me chegaste a dizer qual o preoTambm no te perguntei, ser verdadeAbri-te a porta e limitaste-te a entrarno te disse o destino, no saberamos por onde querer irEncalhmos por breves momentos neste canto esquecido com vista para o nadapor segundos fugazes no existimos; desaparecemos no frio da noiteolhas-me antes de fechar a porta, no sorris, no falasolhas-me simplesmente; sei que vais partir e nunca mais me ver;Sinto-te a entrar nas minhas veias, a matar as minhas defesasPouco a pouco possuir-me s, tomo a tomodefinharei este corpo efmero e vazio de significadosucumbirei ao cheiro da doenafinalmente pertencerei ao teu abrigoPor toda a eternidade que esta noite no pode dar.Aum (or OM) is a mantra, or vibration, that is traditionallychanted at the beginning and end of yoga sessions. It is madeup of three Sanskrit letters, aa, au and ma which, whencombined together, make the sound Aum or Om. It is believedto be the basic sound of the world and to contain all othersounds. It is said to be the sound of the universe. What doesthat mean?Somehow the ancient yogis knew what scientists today aretelling usthat the entire universe is moving. Nothing is eversolid or still. Everything that exists pulsates, creating arhythmic vibration that the ancient yogis acknowledged withthe sound of Aum. We may not always be aware of this sound03 6. 04 7. Pintura acrlico / carvo sobre tela - 120X90cm, Revelao, Artur Simes Dias Dezembro 2013 / em curso (2014)No existe nada melhor do que um trao para projectar umsonho mas digo certamente que melhor do que um trao mes-moum desenho para nos fazer sonhar. nesses sonhos que re-vivemos,crescemos, retornamos nossa infncia, que somosrealmente felizes.O princpio de sonho nada tem a ver com a realidade mas em cada mundo prprio que depositamos os nossos anseios,as nossas preocupaes, os nossos quereres, trechos da nossavida vivida e outros tantos de vida desejada.Sonhamos a dormir ou acordados. Muitas vezes dou comigoa projectar e a idealizar situaes que me so confortveis eoutras que me so desagradveis, mas no sentimento do tra-oque vemos a simplicidade dos sonhos.Querem aflorar tesouros mas ns queremos ainda mais quesejam revelados esses mesmos tesouros a ns porque perde-mosa inocncia de acreditar que o mundo um perfeito con-tornodo nosso corpo e que somos capazes de tudo.Transportar os sonhos num desgnio de projeco um passopara entendermos um pouco aquilo que perdemos e que umdia j foi nosso.O trao, prolongamento do nosso pensamento, meio de fazerreflectir as nossas vivncias. com ele que numa histria depequenos pedaos de sentimento faremos um conto para per-durar,na infncia da nossa idade adulta.Deixemo-nos levar para outros mundos, deixemo-nos levi-tarpela experincia dos seus sonhos e esperaremos que con-sigamoscolocar-nos nos ombros dos nossos desenhos e cres-cer,ir mais alm e sonhar.05PREENCHENDO SONHOS 8. 06 9. Jorge MoreiraEscultor, poeta visual, artista singular com uma viso fantstica, as suas obrasde escultura, so autnticas filigranas em pedra ou madeira, onde as imagensse ligam entre si com elegncia numa fantasia musical, onde se misturam pe-quenosseres alados e plantas e por vezes notas musicas.Nasceu em 1962.Curso de Arteso do Brinquedo no Centro Cultural Roque Gameiro.Aderecista no filme para crianas Zs Trs.Criao de Decors para Vitrinismo.Colaborador de Escultura de 2005 no Centro Internacional de Escultura.Exposio coletiva de pintura e escultura no Ministrio do Trabalho e Solidari-edadeSocial.Exposio colectiva Tightrope, Cidadela de Cascais, 2008.Participao no concurso Utopia 2 Artes Fantstica, 2010.Exposio coletiva de pintura e escultura Arte Fantstica e Surrealismo 2, Ca-sada Cultura de Mira Sintra, 2012.Exposio coletiva Crculo Artstico Artur Bual, Vila Alda, 2012.Exposio coletiva com Olga Alexandre, Biblioteca Jos Rgio, 2012.Exposio de Escultura ao Ar Livre, Amadora, 2013.Exposio coletiva Surrealism, Casa Museu Roque Gameiro, 2013.Participao em feiras esculpindo ao vivo:Feira Medieval de Sintra em 2011 e 2012; Feira Setecentista de Queluz em 2011 e2012; Feira de Arte Contempornea em 2010 e 2011; Feira de Arte em PequenoFormato na Casa Roque Gameiro; Feira de Artesanato da Junta de Freguesia deVenteira.07Jorge Moreira, meu amigo e escultor, temcomigo em comum as razes ensolaradasdo sul, as origens rabes ou berberes dosnativos de Silves. Ser, porventura, porisso que a sua obra se desdobra em not-veisarabescos, poticos e singelos, quedesafiam a aspereza dos materiais em no-tveise delicadas filigranas de madeiraou de pe