web viewresolução cofen nº 423/2012 – normatiza, no âmbito do sistema cofen/ conselhos...

Download Web viewResolução COFEN Nº 423/2012 – Normatiza, no âmbito do Sistema COFEN/ Conselhos Regionais

Post on 11-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

22

PREFEITURA DE VINHEDO

UPA 24 HORAS

PROJETO DE INSERO E OPERACIONALIZAO DE SERVIO DE ACOLHIMENTO COM CLASSIFICAO DE RISCO BASEDO NA METODOLOGIA DE MANCHESTER

Enf Thais Marques de Souza

Enf Diogo Miranda

Enf Elisangela M.T da Silva

Vinhedo

2013

Sumrio

1 INTRODUO..........................................................................................................3

2 OBJETIVOS..............................................................................................................5

2.1 Objetivos especficos..............................................................................................5

3 MTODOS................................................................................................................6

4 ACOLHIMENTO E PROTOCOLO COM CLASSIFICAO DE RISCO - METODOLOGIA DE MANCHESTER...........................................................................7

4.1 rea Fsica...........................................................................................................14

4.2 Equipamentos e materiais....................................................................................15

5 CONSIDERAES FINAIS....................................................................................19

6 REFERNCIAS.......................................................................................................20

ANEXOS.....................................................................................................................21

1 INTRODUO

Triagem na lngua portuguesa significa escolha, seleo. A principal finalidade do servio de triagem escolher quais pacientes devem ter prioridade no atendimento, ou seja, fazer com que os pacientes mais graves sejam atendidos primeiro. Ressalta-se que, a triagem no servio de emergncia no tem a finalidade de rejeitar ou excluir o usurio, mas sim, organizar o fluxo de paciente no sistema de sade e selecionar os meios adequados para o diagnstico e tratamento do problema de sade apresentado. Como consequncia espera-se melhorar tempos e recursos utilizados, uma racionalizao quanto acessibilidade e afluxos internos e, principalmente, ao aumento da resolutividade dos servios, satisfao do usurio e da equipe de sade (PIRES,2010).

Tem por finalidades:

- Identificar rapidamente condies de ameaa vida e de urgncia;

- Garantir o local mais apropriado para os pacientes que procuram o servio de emergncia;

- Diminuir a ocupao nas reas de tratamento;

- Prestar melhores informaes a pacientes e familiares;

- E oferecer informaes que ajudem a definir o nvel de acuidade do servio.

(PIRES, 2010)

O protocolo utilizado pela Poltica Nacional de Humanizao baseado na metodologia de Manchester. Sistema que foi desenvolvido pelo Manchester TriageGroup e comeou a ser utilizado nos servios de Urgncia e Emergncia do Reino Unido em 1996 e no Brasil, no estado de Minas Gerais, em 2008 (MOTA et al, 2012).Esse sistema utiliza a classificao do paciente conforme ordem de prioridade, utilizando cores, sendo:

- Emergncia, vermelho, atendimento mdico imediato;

- Muito urgente, laranja, o atendimento mdico deve ocorrer em 10 minutos;

- Urgente, amarelo, o atendimento mdico deve ocorrer em 60 minutos;

- Pouco urgente, verde, o atendimento mdico deve ocorrer em 120 minutos;

- No urgente, azul, o atendimento mdico ocorrer em 240 minutos.

O Brasil adequou este processo a nossa realidade utilizando as prioridades vermelho que inclui os casos que se enquadram as prioridades laranja, amarelo, verde e azul. E ser utilizada neste projeto.

O municpio de Vinhedo possui uma extenso de 81, 604 km, sendo habitado por 63.611 pessoas (IBGE, 2010). O cidado Vinhedense, em sua procura por atendimento pblico em situaes de Urgncia e Emergncia, conta com o servio do Pronto Atendimento Municipal ( PA do bairro Capela) e com o servio da UPA 24 horas, culminando em um fluxo dirio, mdio, de XXXX atendimentos.

A UPA 24 horas de Vinhedo, como diversos servios de urgncia e emergncia, convivem com a demanda de pacientes onde as pessoas esperam ser atendidas pela hora da chegada. A no distino de riscos ou graus de sofrimento faz com que alguns casos se agravem na fila, ocorrendo s vezes at a morte de pessoas pelo no atendimento no tempo adequado (MINISTRIO DA SADE, 2009).Incutida ai a extrema importncia de se manter um servio de acolhimento com classificao de risco, orientando os usurios sobre a Poltica Nacional do Humaniza SUS e sua importncia.

2 OBJETIVOS

Descrever a implantao de um Sistema de Acolhimento com Classificao de Risco.

2.1 Objetivos especficos

- Construo de protocolo de sistema de triagem adaptado realidade do servio de urgncia e emergncia do municpio de Vinhedo/SP.

- Delimitar e descrever caractersticas da rea fsica e do ambiente ideal;

- Quantidade e caractersticas dos recursos humanos necessrios;

- Definir equipamentos e materiais;

- Elaborar treinamento.

3 MTODOS

Este projeto foi realizado atravs de levantamento bibliogrfico em sites de arquivamento de artigos cientficos e documentos oficiais do Ministrio da Sade. Sendo, posteriormente apresentado Gerncia de Enfermagem e Secretaria de Sade Municipal de Vinhedo.

4 ACOLHIMENTO E PROTOCOLO DE CLASSIFICAO DE RISCO

O acolhimento um modo de operar os processos de trabalho emsade de forma a atender a todos que procuram os servios de sade,ouvindo seus pedidos e assumindo no servio uma postura capaz de acolher,escutar e pactuar respostas mais adequadas aos usurios. Implica prestar umatendimento com resolutividade e responsabilizao, orientando, quandofor o caso, o paciente e a famlia em relao a outros servios de sade paraa continuidade da assistncia e estabelecendo articulaes com esses serviospara garantir a eficcia desses encaminhamentos (MINISTRIO DA SADE, 2009).

Tem por objetivos:

- Melhoria do acesso dos usurios aos servios desade, mudando a forma burocrtica de entrada por filas e ordem de chegada;

- Humanizao das relaes entre profissionais de sade e usurios no que se refere forma de escutar este usurio em seus problemas e demandas;

-Mudana de objeto da doena para o doente (sujeito);

- Abordagem integral a partir de parmetros humanitrios de solidariedade e cidadania;

- Aperfeioamento do trabalho em equipe com a integrao e complementaridade das atividades exercidas pelas diferentes categorias profissionais, buscando orientar o atendimento dos usurios aos servios de sade por riscos apresentados, complexidade do problema, grau de saber e tecnologias exigidaspara a soluo;

- Aumento da responsabilizao dos profissionais de sade em relao aos usurios e elevao dos graus de vnculo e confiana entre eles;

- Operacionalizao de uma clnica ampliada que implica a abordagem do usurio para alm da doena e suas queixas, construo de vnculo teraputico visando a aumentar o grau de autonomia e de protagonismo dos sujeitos no processo de produo de sade, e a elaborao de projeto teraputico individual e coletivo.

(MINISTRIO DA SADE, 2009).

O conceito de acolhimento se concretiza no cotidiano das prticas de sade por meio de escuta qualificada e da capacidade de pactuao entre a demanda do usurio e a possibilidadede resposta do servio, e deve traduzir-se em qualificao da produo de sade complementando-se com a responsabilizao daquilo que no se pode responder de imediato, mas que possvel direcionar, de maneira tica e resolutiva, com segurana de acesso ao usurio.

Logo toda a equipe deve ser treinada e inserida no processo de acolhimento do usurio, desde a recepo que deve escutar as queixas do paciente e encaminha-los ao setor de triagem, ao segurana devendo primar pela segurana e orientao dos que entram neste servio, a equipe de enfermagem que ir avaliar este paciente, aos mdicos e outros agentes de sade. H a necessidade de pactuar com todos os atores envolvidos, buscando a responsabilizao destes pelos atendimentos prestados.

A tecnologia de Avaliao com Classificao de Risco pressupe a determinao deagilidade no atendimento a partir da anlise, sob a ptica de protocolo pr-estabelecido, do grau de necessidade do usurio, proporcionando ateno centrada no nvel de complexidade e no na ordem de chegada. Desta maneira exerce-se uma anlise (Avaliao) e uma ordenao (Classificao) da necessidade, distanciando-se do conceito tradicional de triagem e suas prticas de excluso, j que todos sero atendidos.

A Classificao de Riscos tem por objetivo:

- Avaliar o paciente logo na sua chegada ao servio, humanizando o atendimento;

- Descongestionar o servio;

- Reduzir o tempo para o atendimento mdico, fazendo com que o paciente seja visto precocemente de acordo com a sua gravidade;

- Determinar a rea de atendimento primrio, devendo o paciente ser encaminhado diretamente s especialidades conforme protocolo.

- Informar os tempos de espera;

- Promover ampla informao sobre o servio aos usurios;

- Retornar informaes a familiares.

Abaixo apresentamos o protocolo elaborado para este servio de triagem.

(PREFEITURA MUNICIPAL DE VINHEDOSECRETARIA DE SADE)

CLASSIFICAO DE RISCO

METODOLOGIA DE MANCHESTER

Data de Emisso

01/05/2013

Nmero do protocolo

01

Revises

Proposta inicial

Quantidade de pginas

04

Agentes

- Enfermeiro(Resoluo COFEN N 423/2012)

- Tcnico de Enfermagem

Materiais Necessrios

- Ficha de atendimento com impresso no verso para descrio d