estudante acadÊmico que utiliza o transporte pÚlblico na cidade de macapÁ-ap ... umbanda em...

Download estudante acadÊmico que utiliza o transporte pÚlblico na cidade de macapÁ-ap ... umbanda em macapÁ:

Post on 21-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Sumrio Cincias Humanas e Sociais

    APRESENTAES ORAIS7

    A CONCEPO DE EXISTNCIA NO MTODO FENOMENOLGICO DE MERLEAU-PONTY ............................................................................................ 8

    UMBANDA EM MACAP: F, MISTICISMO E PRECONCEITO, UMA ABORDAGEM ANTROPOLGICA E FILOSFICA ........................................... 9

    ANLISE DO PERFIL TNICO-RACIAL DE TURMAS INGRESSANTES EM 2013 NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAP: SUBSDIO PARA MEDIDAS AFIRMATIVAS ................................................................................. 10

    ALTOS ESTUDOS SOBRE CRIMINALIDADE NO ESTADO DO AMAP: PERFIL CRIMINOLGICO DO CRIME DE ROUBO NOS ANOS 2003 A 2012 11

    AS PROPOSTAS DE COOPERAO TRANSFRONTEIRIA ENTRE BRASIL E FRANA: QUAIS AVANOS E QUAIS OBSTCULOS NA REA COMERCIAL (1996-2012)? .............................................................................. 12

    A CRIAO DE ESPAOS AMBIENTAIS PROTEGIDOS NO MUNICPIO DE MACAP: OBSTCULOS E POSSIBILIDADES .............................................. 13

    APRESENTAES EM PAINIS14

    QUILOMBO CURIA: A EDUCAO COMO FORMA DE REVALORIZAO DA IDENTIDADE NEGRA ................................................................................ 15

    NDICE DE VULNERABILIDADE SOCIAL S AMEAAS NATURAIS DA REA URBANA DO MUNICPIO DE LARANJAL DO JARI - ESTADO DO AMAP ... 16

    EDUCAO ESCOLAR INDGENA NO OIAPOQUE NOS ANOS DO REGIME MILITAR: DIALOGANDO COM AS FONTES DOCUMENTAIS ........................ 17

    AS PAISAGENS URBANAS NA TRAJETRIA E VIVNCIA DE UM ESTUDANTE ACADMICO QUE UTILIZA O TRANSPORTE PLBLICO NA CIDADE DE MACAP-AP ................................................................................ 18

    A CRIAO DE ESPAOS AMBIENTAIS PROTEGIDOS NO MUNICPIO DE MACAP: OBSTCULOS E POSSIBILIDADES .............................................. 19

    A INFNCIA NEGADA: ABUSO SEXUAL INFANTIL INTRAFAMILIAR E SISTEMA PENAL EM MACAP/AP (2009-2010) ............................................. 20

    ESTUDOS SOBRE AS TRANSFORMAES URBANAS NO CORREDOR TRANSFRONTEIRIO ENTRE AS CIDADES AMAPAENSES E GUIANENSES:

  • CIDADES AMAPAENSES ................................................................................ 21

    IMPRENSA ESCRITA E REPRESENTAES DA CRIMINALIDADE URBANA: UM ESTUDO SOBRE OS CRIMES DE FURTO .............................................. 22

    AVALIAO DE DESEMPENHO TRMICO EM AMBIENTES EDUCACIONAIS: Estudo de Caso Unifap Campus Santana ........................................................ 23

    ANLISE DOS CONFLITOS SCIOAMBIENTAIS NA UNIDADE DE CONSERVAO AREA DE PROTEO AMBIENTAL APA DA FAZENDINHA ......................................................................................................................... 24

    REPRESENTAES DA CRIMINALIDADE URBANA: MEDO E INSEGURANA SOCIAL NO ESTADO DO AMAP ........................................ 25

    IDENTIDADES E TRAJETRIAS MIGRANTES NA FORMAO DO BAIRRO NOVO HORIZONTE SANTANA AMAP BRASIL ................................... 26

    MARKETING, GEOGRAFIA E SIG: O GEOMARKETING COMO FERRAMENTA DE GESTO PARA REAS COMERCIAIS DE MACAP-AMAP-BRASIL ............................................................................................... 27

    EDUCAO DIGITAL: SEGURANA DA INFORMAO VS. AMEAAS VIRTUAIS ......................................................................................................... 28

    A CONTRIBUIO DA LEGSTICA PARA POLTICAS PBLICAS DE QUALIDADE ..................................................................................................... 29

    O LDICO COMO RECURSO DIDTICO NO ENSINO DE QUMICA PARA ALUNOS SURDOS DO ENSINO MDIO ........................................................ 30

    ASSENTAMENTO DA VILA VELHA DO CASSIPOR: POLITICAS PBLICAS E A DIFERENTE APROPRIAO DOS SEUS RECURSOS NATURAIS ........ 31

    ANLISE DE SITES E BLOGS DE SECRETARIADO NO BRASIL: UMA PRIMEIRA IMERSO ....................................................................................... 32

    GEOGRAFIA DO ETILMETRO: O USO DO GEOPROCESSAMENTO COMO FERRAMENTA DE IDENTIFICAO DOS PRINCIPAIS PONTOS DE ACIDENTES DE TRNSITO ASSOCIADOS AO CONSUMO DE BEBIDAS ALCOLICAS NA CIDADE DE MACAP-AP .................................................. 33

    CARACTERIZAO SOCIOECONMICA DOS PESCADORES DE OIAPOQUE (AP) .............................................................................................. 34

    ESTGIO SUPERVISIONADO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DO SECRETARIADO EXECUTIVO: UM ESTUDO DE CASO NA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAP ..................................................................................... 35

    REFLEXES SOBRE A JUSTIA ITINERANTE DO AMAP .......................... 36

  • DAS PENALIDADES DA LEI DE CRIMES AMBIENTAIS: ANLISE DA MODALIDADE DA PENA DE INTERDIO TEMPORRIA DE DIREITO ....... 37

    ESTRESSE NO TRABALHO ............................................................................ 40

    DISSERTAES E TESES SOBRE O SECRETARIADO: UMA PRODUO DE CONHECIMENTO NO PERODO DE 1999 A 2012 ................................... 41

    O PROCESSO DE RESSOCIALIZAO DO MENOR A LUZ DO ECA .......... 42

    MUDANAS SCIO-ESPACIAS OCORRIDAS NO DISTRITO DA ILHA DE SANTANA E SUAS INFLUNCIAS SOBRE A VIDA DA POPULAO LOCAL 1990 a 2013 ..................................................................................................... 43

  • 7

    Apresentaes Orais Orai

  • 8

    A CONCEPO DE EXISTNCIA NO MTODO FENOMENOLGICO DE MERLEAU-

    PONTY

    Llian Gabriela Rodrigues Lobato

    1

    Danilo Citro2

    A teoria da percepo de Merleau-Ponty refere-se ao campo da subjetividade e da

    historicidade, ao mundo dos objetos culturais, das relaes sociais, do dilogo, dos paradoxos.

    Sob o sujeito encarnado possvel correlacionar o corpo, o tempo, o outro, a afetividade, o

    mundo da cultura e das relaes sociais. Nesse sentido, este relatrio descreve o estudo

    terico que visa apresentar a concepo de Merleau-Ponty sobre a percepo, seu dilogo

    com a arte e com a cincia, bem como configurar relaes entre corpo, percepo e

    conhecimento.

    Palavras-chave:Fenomenologia. Corpo. Percepo

    1 Bolsista de Iniciao Cientfica - UEAP

    2 Docente UEAP - Curso de Licenciatura em Filosofia

  • 9

    UMBANDA EM MACAP: F, MISTICISMO E PRECONCEITO, UMA ABORDAGEM

    ANTROPOLGICA E FILOSFICA

    AdriaKassia Barbosa

    3

    Danilo Citro4

    O sentimento religioso, a crena no sobrenatural, a f em um Deus criador: o homem est sempre em busca de algo que o leve a acreditar na possibilidade da transcendncia. Apesar do enfraquecimento da religiosidade na vida das sociedades diante da valorizao das cincias e do prprio homem, as religies sobrevivem at as sociedades atuais. Dentre as religies existentes no Brasil, as de origem africanas so as que mais sofrem vrias formas de incompreenso, entretanto, estas, assim como outras manifestaes religiosas, tambm possibilitam ao homem resolver suas angstias existenciais atravs da transcendncia. O sentimento religioso um fenmeno especificamente humano, portanto, o homem busca respostas no sobrenatural e no divino para resolver seus dilemas existenciais. Diante destas consideraes, propomos um exame da Umbanda sob a tica da Fenomenologia da Religio. Palavras-chave: Deus, homem, transcendncia, religio

    3 Bolsista de Iniciao Cientfica - UEAP

    4 Docente UEAP - Curso de Licenciatura em Filosofia

  • 10

    ANLISE DO PERFIL TNICO-RACIAL DE TURMAS INGRESSANTES EM 2013 NA

    UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAP: SUBSDIO PARA MEDIDAS AFIRMATIVAS

    Durciani Leite dos Santos

    5

    Alzira Marques Oliveira6

    A pesquisa buscou conhecer o perfil scio tnico-racial dos acadmicos ingressantes em 2013

    dos cursos superiores da Universidade do Estado do Amap (UEAP). Na pesquisa de campo,

    houve a aplicao 285 questionrios, direcionados aos estudantes. Os dados foram coletados

    junto aos cursos de Engenharia Ambiental, Engenharia de Pesca, Engenharia Qumica,

    Engenharia de Produo, Engenharia Florestal, Licenciatura em Letras, Licenciatura em

    Filosofia, Licenciatura em Pedagogia, Licenciatura em Qumica, Licenciatura em Cincias

    Naturais e Tecnologia em Design. A partir dos resultados, observou-se que: a) A cor/raa dos

    acadmicos ingressantes em 2013 nos cursos superiores da UEAP predominantemente

    negra (pretos e pardos) 74,03%. O curso mais acessado por esse grupo de pessoas de

    mdia concorrncia (Licenciatura em Cincias Naturais), porm ainda no conseguem acessar

    cursos de alta concorrncia (engenharias); b) Pessoas de cor/raa parda do sexo masculino foi

    maioria ingressa em 2013. c) A populao total ingressa em 2013 tem o perfil jovem, na faixa

    de idade de 16 a 20 anos, o equivalente a 55,44%. Os negros (pardos e pretos) equivalem a

    47,02%, quase metade de toda populao ingressa neste ano; e) Apesar do perfil jovem de

    ingressos, h um razovel quantitativo de acadmicos que trabalham (36,84%). A maioria dos

    acadmicos que trabalham 28,41% so negros. Esses apontamentos condizem a realidade

    vivida pelos negros, consequncia de omisso de sua contribuio social para a formao da

    sociedade brasileira, onde a sua cultura foi mostrada de forma distorcida. Isso contribuiu, ainda

    para fortalecer a cultura de intolerncia e desigualdade racial que at hoje permeia as relaes

    sociais no pas, por isso a necessidade de oportunidades do acesso ao ensino superior.

    Palavras-chave:tnico-racial, acesso, permanncia, oportunidades.

Recommended

View more >