( espiritismo) apometria e outras tecnicas nas reunioes medinicas

Download ( Espiritismo)   apometria e outras tecnicas nas reunioes medinicas

Post on 10-Jul-2015

251 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Intermdium 2008

    Frum de Debates Sobre Mediunidade em PernambucoDias: 05 e 06 de abrilLocal: Teatro Beberibe - Centro de Convenes de Pernambuco

    Apometria e Outras Tcnicas nas Reunies Medinicas

    Beto Alencar betotrevo@gmail.comwww.geapnet.org

  • A EVIDNCIA - Um homem, do meio do povo, tomando a palavra, disse: Mestre, trouxe-te meu filho, que est possesso de um Esprito mudo; - em todo lugar onde dele se apossa, atira-o por terra e o menino espuma, rilha os dentes e se torna todo seco. Pedi a teus discpulos que o expulsassem, mas eles no puderam.

    Disse-lhes Jesus: Oh! gente incrdula, at quando estarei convosco? At quando vos suportarei? Trazei-mo. - Trouxeram-lho e ainda no havia ele posto os olhos em Jesus, e o Esprito entrou a agit-lo violentamente; ele caiu no cho e se ps a rolar espumando. Jesus perguntou ao pai do menino: Desde quando isto lhe sucede? - Desde pequenino, diz o pai. - E o Esprito o tem lanado, muitas vezes, ora gua, ora ao fogo, para faz-lo perecer; se alguma coisa puderes, tem compaixo de ns e socorre-nos.

    Respondeu-lhe Jesus: Se puderes crer, tudo possvel quele que cr. - Logo exclamou o pai do menino, banhado em lgrimas: Senhor, creio, ajuda-me na minha incredulidade. Jesus, vendo que o povo acorria em multido, falou em tom de ameaa ao Esprito impuro, dizendo-lhe: Esprito surdo e mudo sai desse menino e no entres mais nele. - Ento, o Esprito, soltando grande grito e agitando o menino em violentas convulses, saiu, ficando como morto o menino, de sorte que muitos diziam que ele morrera. - Mas Jesus, tomando-lhe as mos e amparando-o, f-lo levantar-se. Quando Jesus voltou para casa, seus discpulos lhe perguntaram, em particular: Por que no pudemos ns expulsar esse demnio? - Ele respondeu: Os demnios desta espcie no podem ser expulsos seno pela prece e pelo jejum. (S. Marcos, cap. IX, vv. 13 a 28.)

  • Apometria : CONCEITODo grego:APO METRIA = Andr Luiz PSICO - METRIA"apo"= alm de, separao, afastamento "metron"= relativo medida, que mede.

    Representa o clssico desdobramento entre o corpo fsico e os corpos espirituais do ser humano;

    No propriamente mediunismo, mas sim uma tcnica de separao desses componentes;

  • Apometria : CONCEITO uma tcnica que pode ser aplicada em todas as criaturas, no importando a sade, a idade, o estado de sanidade mental e a resistncia oferecida;, ao mesmo tempo:tcnica anmico-espiritual de desdobramento dos corpos, atravs da qual pode-se atuar tanto em encarnados como desencarnados; e uma ferramenta de manipulao de energia.

  • Apometria : FINALIDADEA Apometria vem, ainda, no sentido de complementar o trabalho de desobsesso nos casos mais difceis ou complexos, no solucionados nas sesses medinicas.

    A Apometria busca a cura, ou ao menos o lenitivo, para que o paciente procure sua auto-cura, atravs de palestras, passes, pelo despertamento da religiosidade inerente de cada um e pela reforma ntima, tendo o Evangelho do Cristo como condutor.

  • Apometria : HISTRICO1963:Buenos Aires VI Congresso Esprita Pan-Americano - Dr.Luiz Rodrigues apresenta a tcnica Hipnometria;1965: Dr. Luiz Rodrigues; Farmacutico-bioqumico, psicoterapeuta e no esprita; Hospital Esprita de Porto Alegre HEPA; Hipnometria: consistia em desdobrar o paciente atravs de contagem lenta onde h impulsos energticos (contava de acordo com a idade do paciente) e lev-lo at os mdicos desencarnados no plano espiritual;

  • Apometria : HISTRICODR. JOS LACERDA DE AZEVEDO:Mdico, esprita desde a juventude e profundo conhecedor da Doutrina Esprita, e de inmeras outras cincias, incluindo a fsica;Comeou a estudar esta tcnica; Mudou seu nome para APOMETRIA achou inconveniente o nome dado, pois no tinha nada a ver com hipnose tcnica que induz ao sono;Entendeu que esta tcnica consistia num desdobramento produzido pela vontade forte do operador;Que este desdobramento poderia ser feito instantaneamente pela vontade treinada deste, independente do hipnotismo, usando apenas as possibilidades anmicas da criatura humana;

  • Apometria : HISTRICONo era utilizado o antigo mtodo magntico de desdobramento e dissociao muito utilizado por pesquisadores no passado;Designa o desdobramento espiritual ou bi-locao estudado por muitos (ex.: Ernesto Bozzano Desdobramento Fenmeno de Bilocao, 1972);Estudando, pesquisando e experimentando a nova tcnica com muito amor, carinho e dedicao, Dr. Lacerda e sua equipe chegaram a resultados inesperados;Aplicando a Apometria em trabalhos com pacientes de toda a ordem, o mtodo surpreendia, facilitando enormemente o diagnstico dos sintomas como tambm trazendo, de imediato, a resposta positiva nos tratamentos aplicados. Muitas vezes o paciente surpreendia a equipe, totalmente recuperado aps uma sesso de atendimento;

  • Apometria : HISTRICO uma tcnica que no prope alteraes nos fundamentos filosficos e ticos da Doutrina Esprita;

    Publicou 2 livros:Esprito e Matria Novos Horizontes para a Medicina, 1977 (h 30 anos)Energia e Esprito Teoria e Prtica da Apometria,1993;

    Atualmente j contamos com inmeras publicaes sobre este assunto; Vasta informao na internet.

  • Fundamentao Cientfica da Apometria (Livro Fundamentao da Cincia Esprita - Carlos Friedrich Loeffler Ed. Lachtre)O Conhecimento Nasce de um Fundamento; ReligiosoCientificoFilosficoCultural (Popular)O Mtodo Cientifico se Compe das Etapas:Descobrimento do Problema;Colocao do Problema em Termos Precisos;Procura de Conhecimentos ou Elementos relevantes ao Problema;Tentativa de Soluo do Problema com auxilio dos meios identificados;Inveno de novas idias acerca do problema (teorias e hipteses);Obteno de uma soluo (exata ou aproximada);Investigao das conseqncias da soluo obtida;Comprovao da Soluo;Aprimoramento ou correo da soluo anterior;

  • Fundamentao Cientfica da Apometria (Livro Fundamentao da Cincia Esprita - Carlos Friedrich Loeffler Ed. Lachtre)Elementos da Composio Terica e Cientfica dos Fatos:

    Definio- Denominao de uma idia, que uma vez aceita, no mais discutida;Conceito a caracterizao de uma idia;Axioma uma proposio ou afirmao considerada evidente;Postulado/ Principio Proposio reconhecida, mais ainda no comprovada;Lei Relao reconhecida a partir de certas experimentaes/ observaes;Hiptese Considerao ou idia admitida, que pode ser uma teoria ou tese;Teoria/ Tese Conjunto de idias elaborados com vistas a explicao de fatos e fenmenos diversos;Teorema Afirmao demonstrvel, atravs de recursos eminentemente matemtico;

  • UTILIDADES DA APOMETRIAO maior xito desta tcnica est em sua aplicao em mdiuns, para contato fcil e objetivo com o mundo espiritual;Visa o tratamento dos corpos desdobrados para fins de harmonia;Ao encaminhamento de espritos desencarnados para hospitais, colnias no plano espiritual, segundo seus padres vibratrios, com finalidade de conseguir bem estar e sade;Para a assistncia espiritual aos sofredores de ambos os lados da vida encarnados e desencarnados;

  • UTILIDADES DA APOMETRIATratamento de enfermidades do corpo e da mente;

    Atendimento s criaturas que sofrem pelas doenas de difcil soluo;

    Atendimento espiritual gratuito dos enfermos, utilizando, para tal, os recursos da potencialidade anmico-espiritual dos sensitivos.

  • A Casa esprita

  • CONSIDERAES; O HOMEM SETENRIOEMMANUEL, no livro PRONTO SOCORRO, diz:Nos domnios da alma surgem os acidente e leses, traumas e equimoses de origem mental, tanto quanto no corpo fsico.

    Ainda o mesmo autor diz no livro LEIS DO AMOR:A mente mais poderosa para instalar doenas e desarmonias do que as bactrias e vrus conhecidos.

  • CONSIDERAES; O HOMEM SETENRIO ALLAN KARDEC, afirma em OBRAS PSTUMAS que:Quando as Cincias Mdicas levarem em conta a influncia do elemento espiritual na economia do ser (sua estrutura integral) grande passo se ter dado e novos horizontes se lhe abriro. Muitas causas de molstias sero, ento, descobertas, bem como poderosos meios de combat-las.

  • CONSIDERAES; O HOMEM SETENRIO O HOMEM SETENRIO OS SETE CORPOS

    1.1. CORPO FSICO1.2. CORPO ETRICO1.3. CORPO ASTRAL1.4. CORPO MENTAL1.4.1. CORPO MENTAL CONCRETO OU INFERIOR1.4.2. CORPO MENTAL ABSTRATO OU SUPERIOR1.5. CORPO BUDDHI1.6. CORPO TMICO

  • CONSIDERAES; O HOMEM SETENRIOCONCEPO ESPIRITUALISTA:O ESPRITO, na condio de foco inteligente e diretor da vida, encontra-se envolto por vrios campos energticos, cada qual a vibrar numa dimenso espacial que lhe prpria - campo fsico (mais externo) - mais densificado;

    KARDEC:Resumiu o assunto para facilitar a compreenso PERISPRITO = que engloba tudo aquilo que reveste a essncia espiritual, ou seja, que se encontra interposto entre o esprito e o corpo fsico;Afirma que alma e esprito so sinnimos

  • CONSIDERAES; O HOMEM SETENRIO ANDR LUIZ: Estabelece que o homem composto de:

    EspritoCorpo MentalPerisprito ou psicossomaDuplo etrico ou biossomaCorpo

    ESPIRITISMO:O homem uma trilogia:CORPO SOMTICO OU FSICO + PERISPRITO + ESPRITO

  • CONSIDERAES; O HOMEM SETENRIODR. LACERDA:Diz que a alma e o perisprito deveriam ser sinnimos pois envolve os diversos corpos, inclusive o etrico;Aceita o ser como composto de SETE CORPOS.

    HOMEM SETENRIO: sete componentes interpenetrados, os mais difanos, ocupando amesma poro espacial dos mais densos, perfeitamente definidos, mas vibrando emdimenses espaciais diferentes, onde as propriedades, funes e manifestaes so distintas.

  • CONSIDERAES; O HOMEM SETENRIOMILNIOS:

    Hindus, egpcios, chineses, essnios, hebreus e outros povos sbios do Oriente estudaram os 7 corpos energticos;

    O Esoterismo, a Teosofia e outros ramos do ocultismo e algumas religies orientais aceitam esta diviso

  • CONSIDERAES; CLASSIFICAO DIDTICA DOS DISTRBIOS ESPIRITUAISInduo EspiritualObsesso