- 1 -universidade católica portuguesa .as desvantagens são: o entrevistado tem que saber ......

Download - 1 -Universidade Católica Portuguesa .As desvantagens são: o entrevistado tem que saber ... relativamente

Post on 10-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

- 1 -Universidade Catlica Portuguesa

Silvana Soares Barbosa Cincias da Comunicao

- 2 -Universidade Catlica Portuguesa

Silvana Soares Barbosa Cincias da Comunicao

Introduo

Na disciplina de teorias e prticas de jornalismo, foi me proposto desenvolver

um trabalho onde o tema diz respeito escolha de dois gneros jornalsticos que foram

leccionados nas aulas.

A minha seleco de gneros foi: a notcia e a entrevista.

Neste trabalho pretendo desenvolver a notcia e o seu processo de elaborao:

como as notcias por vezes chegam aos veculos de imprensa, das fontes jornalsticas e

ainda dos ttulos.

Quanto a entrevista vou frisar essencialmente os vrios tipos de entrevistas que

existem, e como se deve agir nos diferentes tipos e as diferenas em cada uma delas.

- 3 -Universidade Catlica Portuguesa

Silvana Soares Barbosa Cincias da Comunicao

Notcia

A notcia a matria-prima do jornalismo, tudo aquilo que um rgo de

comunicao social pblica em sentido tcnico. o formato de divulgao de um

acontecimento.

um facto verdadeiro, indito ou actual, de interesse geral, que se dirige a um

pblico, depois de recolhido, pesquisando e avaliando por quem controla o meio

utilizado para a sua difuso. A notcia apresenta determinadas formas literrias atravs

da elaborao de certos gneros jornalsticos.

Tem prioridade pela ordem de importncia usando os seis princpios chave: o

qu?o facto ocorrido, quem?a personagem envolvida, porqu?a causa do

facto,onde? o local do facto, como? o modo como o facto ocorreu, Quando?o

momento do facto.

Implicando tambm quatro critrios para melhor qualidade da mesma sendo

eles: novidade deve conter informaes novas e no repetir as j conhecidas,

proximidade quanto mais prximo do leitor melhor, mais interesse gera, tamanho

sendo pequena ou grande o que importa atrair ateno do leitor, e por ltimo

relevncia deve ser importante e significativa, no deve conter acontecimentos banais,

sem interesse para o leitor.

A notcia acima de tudo tem de ter factos e no ser opinativa, principalmente

uma boa histria apelativa, bem escrita.

A arte do jornalismo escolher os assuntos que mais interessam ao pblico e

apresent-los de modo atraente, contando especialmente com a objectividade do

jornalista ser verdadeiro, registar vrias verses de um acontecimento, ser prudente,

honesto e impessoal. Contudo, no podemos esquecer de dizer que nem todo o texto

jornalstico noticioso, mas toda a notcia potencialmente objecto de apurao

jornalstica.

No podemos tambm omitir o facto da notcia tambm ser feita atravs de um

bom ttulo, um elemento que nunca deve de ser desprezado na escrita jornalstica de

uma notcia, estando sempre em transformao, tentando adaptar-se aos critrios de

noticiabilidade do mesmo, as mudanas estticas e aos avanos tecnolgicos. Alm

disso, os ttulos tm de acompanhar o modo de vida dos leitores, que por vezes dispem

de pouco tempo para ler jornais.

- 4 -Universidade Catlica Portuguesa

Silvana Soares Barbosa Cincias da Comunicao

Uma das grandes funes do ttulo o seu rosto por isso compete ao ttulo

chamar a ateno, passar uma mensagem, concisos e destacar a raridade. Devendo

sempre responder as questes principais: Quem?, Qu?, Onde? e Quando?.

Por vezes as notcias principais no so planeadas, no so agendadas. Chegam

por meio de reprteres correspondentes, agncias de notcias, acessria de imprensa, de

fontes jornalsticas. As fontes jornalsticas so pessoas, identidades que fornecem

informaes aos jornalistas, em vrios casos as fontes concordam em proporcionar

informao desde que a sua identidade seja preservada pelo jornalista a quem deu a

informao, devendo mant-la no anonimato, e s pode revel-la caso seja autorizado

pela prpria fonte. Quando a fonte concorda em aparecer mas no est disposta a

responder ou a sustentar alguma informao, diz-se que a informao dada off the

records, isto quer dizer fora de registro.

Estrutura da notcia

Elementos Essenciais

* Ttulo a atraco para o leitor se interessar pela matria que se apresenta.

* Lead a introduo de uma notcia que deve apresentar as ideias principais bem

como: apresentar um resumo do facto, identificar os lugares e as pessoas envolvidas;

destacar o principal foco da histria, e por ltimo estimular o leitor a continuar a ler o

resto da notcia.

* Corpo todo o desenvolvimento da notcia.

Formas de estruturar a notcia

A notcia tem vrias formas de se estruturar, por isso vou apresentar trs formas

diferentes de estrutura uma notcia em forma de pirmide, sendo que cada estrutura

diferente para a construo da notcia.

- 5 -Universidade Catlica Portuguesa

Silvana Soares Barbosa Cincias da Comunicao

Pirmide Invertida contm:

Auge do facto

Desenvolvimento da Histria

Concluso

Pirmide Normal contm:

Lead

Desenvolvimento cronolgico da histria

Auge da histria

Pirmide Invertida e Lead contm:

Auge da notcia

Desenvolvimento da histria

Concluso

Lead

- 6 -Universidade Catlica Portuguesa

Silvana Soares Barbosa Cincias da Comunicao

Entrevista

A entrevista um dos gneros jornalsticos em que as perguntas e respostas so

as ferramentas essncias, so a massa do trabalho para o jornalista. todo o acto de

comunicar com o jornalista.

A entrevista uma conversa jornalstica com pessoas bem informadas e dignas

de interesse, para dar uma informao directa. Havendo sempre factores que motivam a

existncia das entrevistas em que pode ser a actualidade da pessoa ou a actualidade do

tema da conversa que se faz.

Muitos entrevistadores adquirem tcnicas que transformam a entrevista num

jogo com espcie de xadrez, conseguindo arrancar declaraes muito importantes. Mas

para isso acontea preciso trabalhar antes da entrevista.

O jornalista deve ter o cuidado em certos aspectos bem como: marcar a

entrevista com antecedncia, informar o entrevistado sobre o tema correspondente, a

durao do encontro. O jornalista deve apresentar-se de modo adequado no ter mau

aspecto pois ao entrevistado pode no lhe agradar, no chegar atrasado ao encontro.

Para que corra bem o trabalho ao jornalista preciso preparar uma boa pesquisa

antes e depois de fazer a entrevista. Contudo o jornalista deve recolher o mximo de

informao possvel sobre o assunto a ser elaborado, conhecer bem o entrevistado, se

possvel conhecer o local onde se vai realizar a entrevista. Redigir perguntas to

especficas quanto possvel, perguntas genricas mas no muito pois podem tornar-se

muito tendenciosas.

O entrevistador devem conquistar a confiana do entrevistado mas no tentar

domin-lo, ter uma preocupao com o dilgo tratando de um modo mais coloquial,

tratar o entrevistado pelo seu nome ou pelo cargo que ocupa profissionalmente. Fazer

perguntas breves directas de esclarecimento, que no contenham resposta contida, no

misturar vrias perguntas ao mesmo tempo, perguntas muito amplas e fechadas podem

confundir o entrevistado.

Quando o entrevistado foge ao assunto, o jornalista deve usar a pergunta

seguinte para traze-lo de volta ao tema. Ao ouvir uma resposta bomba, o jornalista no

- 7 -Universidade Catlica Portuguesa

Silvana Soares Barbosa Cincias da Comunicao

deve relevar entusiasmo manter sempre a mesma postura, para que o entrevistado no

perceba e que no cancele a entrevista.

O jornalista ao transcrever a entrevista deve corrigir os erros de portugus ou

problemas da linguagem coloquial quando for necessrio para melhor compreenso,

mas no alterando o estilo da linguagem do entrevistado e ajudar o entrevistado, se

necessrio, a expor as suas opinies. Nunca cortar resposta mesmo que no sejam muito

relevantes.

O entrevistado beneficia de alguns direitos cuja entrevista que se vai sobe meter:

ter direito de dizer no a um pedido de entrevista, de escolher um porta-voz, de preferir

hora e o local da entrevista, direito de no responder a questes que acha que seja

inapropriadas no acto. Tem o direito de rever a entrevista antes de ser publicada.

Vantagens e desvantagens dos mtodos de entrevista.

Mtodos de Entrevista

uma aplicao dos processos fundamentais de comunicao, que quando

utilizados permitem ao investigador retirar das suas entrevistas elementos de reflexo. O

mtodo de entrevista especialmente adequado na anlise que os autores do s suas

prticas. Tendo como principais vantagens: - o grau de profundidade dos elementos de

anlise recolhidos; - a flexibilidade e a fraca directividade do dispositivo permitindo

recolherem testemunhos dos interlocutores.

As desvantagens so: o entrevistado tem que saber jogar com o factor da

flexibilidade de forma estar a vontade, mas no de forma a no intimidar o interlocutor,

poderia ocorrer caso a linguagem do entrevistador fossem de tal forma flexveis; - e a

comparactividade ao mtodo de inqurito aos elementos recolhidos no se apresentarem